Nova Fanfic

Olá, pessoas. Como estão?

Apesar do sumiço e da morosidade deste espaço, tem fanfic nova no site. Dessa vez é uma de minha própria autoria, que funcionará como uma espécie de rebut para a série (eu já tinha comentado dessa minha vontade aqui antes). A ideia original era fazer um fanzine ou uma série de ilustrações, mas o tempo está cada vez mais curto e essa história está pedindo muito para ser contada, de alguma forma…

Então, aqui está o link para a fanfic Lost Chronicles.

E espero que curtam e me deem suas opiniões.

Anúncios

Boa noite, pessoas bonitas!

Aproveitaram bem o feriado? Eu confesso que estava tão quente aqui na região que fiquei o dia inteiro agoniada.

Bom, eu sei que faz tempo que não entro. Estou, como acho que já comentei antes, com muitos afazeres acadêmicos para enfrentar – e fora que estou tentando investir no meu blog pessoal e na minha produção artística -, de modo que o Higurashi Jinja acabou ficando para segundo plano. Estou pensando em um modo mais viável para que eu possa atualizar esse espaço de modo mais constante.

Infelizmente, estou meio sem tempo para rever os episódios da série, ou para reler os mangás, então provavelmente os resumos dos capítulos que eu vinha fazendo irá pausar por mais um bom tempo. Talvez eu acabe encontrando uma solução criativa para isso mais para frente.

Da última vez que postei aqui comentei que, talvez, eu fizesse uma série rebut de InuYasha. Bom, estou muito tentada a concretizar a ideia. Estava pensando em fazer não um fanzine ou um doujinshi, mas sim uma série ilustrativa recontando alguns acontecimentos e acrescentando novos (inventados por mim). Certamente, essa série alternativa que criarei tomará um rumo bem diferente da série original. E isso talvez seja divertido, não? =)

Eu espero conseguir ir fazendo os desenhos num ritmo constante. Hoje rascunhei uma ilustração da série. Não diria que é a primeira, já que existem acontecimentos anteriores que precisam ser mostrados. Já escaneei esse desenho e estou pintando. Queria que essa série tivesse como referência as pinturas japonesas antigas. Vamos ver se vai dar certo.

hbl_0374

Depois que eu vi que a Mukade Jourou tinha mais braços do que o normal… não me lembrava desse detalhe. Acrescentei mais um par de braços na pintura. Quando terminar, posto aqui.

Abraços virtuais a todos.

projeto rebut?

Olá, pessoas bonitas. Como vão?

Eu tinha comentado no post anterior que talvez, quem sabe, eu ainda faria uma série rebut de inuyasha… a verdade é que venho divagando sobre isso desde um pouco antes da série terminar. Gosto muito da história, dos personagens… mas devo confessar que fiquei meio decepcionada com a largada final. Aliás, não só com essa parte – vários “meios” da história me pareceram meio vazios…

Não que eu esteja querendo “consertar” InuYasha, longe disso. Apenas queria expor minha visão das coisas, e como poderiam ter caminhado. Cada fã, acredito eu, mirabola mil e um finais para suas séries preferidas. Então, se eu fizesse um rebut de fato, seria algo mais nesse sentido: qual o final que eu queria para a série? Quais acontecimentos eu acrescentaria? Seria muito diferente?

Pensando nisso fiz uma ilustração teste. Eu não quero ter que fazer um rebut num formato de quadrinho/mangá, porque demoraria muito e seria muito desgastante, já que não levo o menor jeito para quadrinização, diálogos, cenas de impacto etc. Não levo jeito e não tenho paciência.

Estava pensando em fazer algo num formato de “livro-imagem”: as imagens contariam por si só a história. Então seriam várias ilustrações que resumiriam fatos da série oficial e que acrescentariam novos detalhes meus.

Mas… não sei. Talvez acabasse virando uma série ilustrativa e não uma sequência em si.

Como estamos na internet, esse formato de livro-imagem não funcionaria muito bem, já que suporia a existência física de um livro. Assim, eu quase engavetei a ideia de novo… quando comecei a ver vários posts de livros para colorir na internet. Eu não curto muito essa vibe de colorir padrões – aliás, não curto colorir desenhos prontos, mas pelo visto tem muita gente que curte. E isso me deixou no mínimo impressionada. E me fez pensar… por que não?

Será que tentar um rebut nesse formato de “livro para colorir” daria certo? Ainda que a pessoa não vá imprimir para colorir, talvez a estética da coisa me dê uma ajudada. Não sei, estou matutando essas coisas ainda. Esses livros de colorir, teoricamente, teriam um fio narrativo – pelo menos é isso que me dá a entender. Então… talvez valha a pena o risco.

Abaixo um teste: ilustração com alguns toques coloridos e a mesma ilustração apenas com o traçado. Qual seria o melhor? Ou seria mais legal eu intercalar os estilos?

ilustracaorebut

ilustracaorebut_lineart

Quem quiser imprimir sinta-se à vontade. Se possível, tire foto da impressão pintada por você e me mande com sua opinião e comentário. Vai me ajudar muito. Abraços a todos.

“Novo” mangá de Rumiko Takahashi ganha série animada ♥

tumblr_ngdl7e50yb1tq09zyo3_400Olá, pessoas! Tudo bom? Não, de novo não trouxe atualizações para as seções do site. Desculpem-me. m(_ _)m Mas resolvi fazer um post sobre o “novo” mangá da Rumiko Takahashi. Depois que acabou InuYasha, Rumiko lançou uma nova série chamada Kyoukai no Rinne – ou só Rinne mesmo. A série começou em 2009, mas só agora em 2015 está ganhando uma versão animada. Eu já tinha lido o mangá anos atrás, mas com a correria da vida, acabei deixando de lado. Cheguei até a comprar três volumes na Fonomag de tanto que curti a história (nessas horas que eu agradeço por ter estudado anos japonês). Mas aí o dinheiro encurtou bastante… e o tempo também… e acabei não comprando mais nada, ou vendo mais nada. Mas graças à leitora Shana, a qual me lembrou dessa série maravilhosa, voltei a lê-la. Aliás, foi a Shana quem me alertou que havia começado a versão animada. Ao saber disso corri baixar. Até agora são cinco capítulos disponibilizados na internet. Não sei se tem legendado, porque eu baixei direto em japonês sem legenda. Então vou ficar devendo essa informação para vocês. rinne Baixei, assisti e estou esperando pelos próximos. Gostei muito da adaptação: a animação não é a melhor do mundo em qualidade de imagem, mas está num padrão de qualidade normal; o design dos personagens ficou muito bem feito, e a dublagem foi muito bem escolhida. Enfim, curti bastante. Só achei a trilha sonora meio apagada. Não tem a mesma força que InuYasha tinha nesse aspecto, mas como se trata de uma animação de comédia, não chega a ser um ponto realmente negativo. Para quem curte Ranma 1/2 e todas as situações cômicas que apareciam, vira-e-mexe, em InuYasha, vai curtir muito Rinne. Mas quem não curte capítulos aleatórios, e aqueles tipos de história que se justificam em si mesmas, não aconselho a ler ou a ver. Rinne não tem uma trama complexa, recheada de acontecimentos e reviravoltas… nada disso. É uma história simples, engraçada e soft.

kyoukai-no-rinne

——————————

Resumão do enredo É bem simples. Sakura Mamiya é uma estudante do colegial que desde pequena vê espíritos. Apesar disso, ela encara o fato com naturalidade – talvez por ter se acostumado. No início do período letivo, Sakura conhece Rinne Rokudo – um garoto meio humano, meio shinigami (lembraram de alguma coisa? Pois é…). Como Sakura consegue ver espíritos, e Rinne tem por missão enviar esses espíritos para o além-mundo, os dois acabam por se aproximarem e passam a viver várias aventuras engraçadas, bizarras e inusitadas juntos. Lógico que a partir daí vários personagens vão surgindo, cada um mais peculiar que o outro. E lógico que tem romance no meio disso tudo ne… 28v69i O ponto forte da história toda, que eu particularmente gostei, foi o fato do quase-casal principal Sakura e Rinne não ficarem brigando e provocando um ao outro o tempo todo (como ocorre em Ranma 1/2 e InuYasha). É um relacionamento simples e, talvez por isso mesmo, conquiste o leitor com mais facilidade. Rinne é quieto, na dele… fica claro em vários momentos que ele gosta da Sakura, e pode estar até mesmo apaixonado, mas ao que me parece, nem ele próprio tem certeza disso, então… ele simplesmente curte a presença e a amizade dela. E Sakura… é um mistério; não conseguimos ter acesso ao que ela sente pelo Rinne ou por outros personagens masculinos da série, mas ela é bem desencanada com o assunto e parece realmente, realmente não se preocupar com isso. O que nos leva também a não nos preocuparmos com isso, deixando-nos relaxados para curtir a história.

Enfim, me conquistou totalmente.  ♥

rinne2